Recursos

4 dicas para facilitar a vida após o COVID19

Como será agora quando entrarmos num mundo pós-covid? Que se segue? Com o aumento das taxas de vacinação, tudo parece estar reabrindo. É como se uma voz nos dissesse “É hora de voltar à vida”.

Estes momentos únicos fazem com que muitos de nós sintamos uma mistura de excitação e ansiedade para regressar à (outra versão da) vida “normal”. Talvez o entusiasmo venha pelo regresso ao escritório, às reuniões presenciais, jantares fora, celebrações familiares e à sensação de nos reconectarmos com outras pessoas. Por outro lado, o eventual regresso ao escritório pode trazer alguma ansiedade, podemos sentir algum nervosismo em relação à reconexão com amigos e entes queridos após tanto tempo, ou alguma tristeza por termos que deixar o conforto e a segurança de casa. Aliás, é importante aceitar que tudo isso pode estar a acontecer ao mesmo tempo.

Será que nos vamos lembrar de como ser “humanos”? Será estranho voltar sabendo que uma conversa superficial pode não ser suficiente depois de tudo o que aconteceu? De que modo o trabalho e os relacionamentos serão diferentes após a pandemia?

O futuro que estamos a iniciar abre uma nova oportunidade de autenticidade e vulnerabilidade. Depois de tantas experiências intensas, esta reentrada pode ser um passo em direção ao nosso crescimento e a um florescimento pessoal e coletivo. Felizmente, competências como o Mindfulness e a inteligência emocional podem facilitar essa reentrada, ajudando-nos a refletir sobre o que aprendemos e a integrar as aprendizagens à medida que construímos um futuro novo e melhor.

Faça-o com calma.

Antes da pandemia, talvez lhe fosse possível algumas vezes por semana trabalhar 8 horas no escritório e depois encontrar os amigos. Agora, uma maior limitação para estes encontros permite que o faça com calma, facilitando uma reintegração gradual sem nos sentirmos oprimidos ou exaustos: tome mais tempo para descansar e recarregar energias ao final do dia, convide um amigo de cada vez para o café… Novas experiências ajudam o cérebro a desenvolver a agilidade necessária para se adaptar a um mundo em mudança, mas demasiada novidade ao mesmo tempo pode resultar num stress adicional que é realmente opressor.

No entanto, não deixe que esse conselho de “ir devagar” seja uma desculpa para não sair! Embora a Netflix possa ser tentadora, a conexão social é essencial para o nosso bem-estar. É muito importante sair. Certifique-se apenas que presta atenção a como o seu corpo responde em situações sociais e lidará melhor com qualquer stress que possa surgir ou voltará para casa quando sentir que precisa descansar.

Dê a si mesmo tempo para refletir.

Lembre-se dos primeiros dias da pandemia: ruas vazias, sentimentos de incerteza, a sensação de impermanência de todas as coisas… Fez alguma promessa digna de ser lembrada? Cuidar mais de si e do seu bem-estar? Passar mais tempo com seus entes queridos? A pandemia pode ter-nos ajudado a tomar consciência do que é realmente importante para nós. Agora é hora de nos darmos um pouco de espaço e atenção para termos tempo para refletir e assimilar.

Não podemos voltar à “normalidade” que um dia conhecemos. Esta nova realidade obriga-nos a refletir sobre o que deu certo e sobre o que ainda precisa de melhorar para integrarmos as lições que nos trouxe. Ao longo do último ano, muitas empresas e organizações adaptaram-se a uma nova forma de trabalhar, obrigando a mudar e a inovar para responder às exigências únicas deste grande desafio. O futuro do trabalho, sem dúvida, incluirá legados desta pandemia, como incorporar mais trabalho remoto e enfatizar competências mais centradas no ser humano. A transição em que vivemos recomenda aos líderes uma reflexão sobre o que é mais importante à medida que construímos organizações mais inclusivas, equitativas e mais “humanas”.

Aceite a mudança, despertando a sua curiosidade.

Acho que não me engano se digo que nunca antes tínhamos imaginado um mundo de quarentenas, entregas ao domicílio, máscaras faciais e distância social. E ainda assim, adaptámo-nos e encontrámos novas rotinas. Neste 2020, muitos de nós praticámos o “navegar na incerteza” com maestria.

Mas a incerteza sempre fez e fará parte da vida. A nossa melhor aposta não é outra senão fortalecer a nossa capacidade de nos adaptarmos e de aceitarmos as mudanças à medida que surgem. Para fazer isso, podemos desenvolver competências de inteligência emocional, como a adaptabilidade e a resiliência. Além disso, o mindfulness é um grande impulsionador da curiosidade: ajuda a gerir o stress, o que cria resiliência e abre o espaço mental para a curiosidade, a criatividade e a inovação.

Não se esqueça de nossa humanidade compartilhada e comum.

A pandemia permitiu-nos tomar consciência de que estamos muito mais intimamente conectados do que poderíamos ter imaginado. À medida que reconstruímos as rotinas no trabalho e na comunidade, a empatia desempenha um papel fundamental na integração mais equitativa das lições do último ano e meio. Lembrar a experiência compartilhada – lembrar que somos todos humanos, dignos de saúde, dignidade e respeito – pode-nos ajudar a fortalecer a empatia mútua.


NOTA: Este artigo foi adaptado da publicação “Tips for Transitioning to Life After a Pandemic” disponível em https://siyli.org/life-after-a-pandemic/

The School of We

Contacta com a TSoW

Qual o tipo de programa em que estás interessado?